sexta-feira, 5 de setembro de 2014

DO BODE EXPIATÓRIO DO "RACISMO"

Nenhum comentário:
Link direto para esta postagem
Imagem com dois dedos indicadores se tocando, um de uma pessoa branca e outro de uma pessoa negra, cada qual com um fundo em contraste em branco ou preto, simbolizando o problema cultural do racismo no Brasil.
Patrícia Moreira, acusada de "racismo" (na verdade é injúria racial) contra o goleiro Aranha do Santos, acaba de dar um depoimento à imprensa e chorou. Um choro falso, induzido por uma "assessoria de gestão de crise" e pelo advogado que ela contratou. Ficou pior do que se não a tivessem exposto mais ainda do que a mídia já está fazendo e com certas doses de sadismo e crueldade.

O fato é que essa guria virou o "bode expiatório" de um problema que ela sozinha não representa. A mídia, de novo em histeria, está expondo exageradamente a imagem de uma única pessoa, imputando a esta todo o problema como se fosse uma "a bruxa" a ser condenada à fogueira para que o "mal", enfim, seja exorcizado.

Metade do Rio Grande do Sul já deve ter cantado o mesmo hino com as injúrias raciais que a torcida canta, isso sem achar que cometia algum crime, assim como ela. Isto não significa que as injúrias no cântico estejam com a razão, mas também não significa que todo o problema do racismo se resolverá assim, através de um bode expiatório. A coisa toda foi muito boa para problematizar o racismo/injúrias raciais que ocorrem de forma velada no cotidiano da nossa cultura, mas...

O Grêmio foi punido por um erro de uma pequena parte de sua torcida, ok! Mas pera lá... As demais torcidas também não comentem injúrias criminosas de todos os tipos, principalmente as homofóbicas? O que vai ser feito com relação a isso? Ou agora todos os problemas vão se solucionar com a condenação dessa guria?

Enfim, pra deixar claro, a guria cometeu um erro grave, inconsciente no sentido de ser ignorante e ignorante no sentido de ser acrítico, mas o linchamento público midiático precisa parar. Sim, este caso tem o mérito de tirar o tema da "espiral do silêncio", mas peca ao estigmatizar uma única pessoa desse jeito. Afinal, os comentários sobre o caso contidos nas redes sociais, contém injúrias e ameaças à dignidade humana tão ou mais graves, nada é feito... isso só nos ajuda a entender que boa parte da sociedade é muito hipócrita, acrítica e inconsciente, assim como a Patrícia naquele fatídico e infeliz episódio.