segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

HIPOCRISIA À BRASILEIRA

Yoani Sanchéz, blogueira cubana, de perfil com a boca aberta durante uma fala e olhar compenetrado
Yoani Sanchés chamou mais atenção do que se propunha
Tenho lido bastante sobre o caso da excursão a blogueira cubana Yoani em terras tupiniquins. Invariavelmente os textos, vídeos, imagens e podcasts que tenho consumido a respeito contém parcialidades políticas explícitas.

Em ambos os casos, dos contras e à favor, há muita hipocrisia. Nestes tempos está cada vez mais difícil ser coerente com o que se pensa e agir em função disto, mas este não é o problema.


O problema reside na falta de conhecimento mais profundo sobre as coisas, as pessoas tem o costume de tomar como verdade aquilo que tem acesso pela imprensa que se dispõe a acompanhar. Contudo, há diversos ângulos numa mesma história, que precisam ser considerados que existem, para que não cometamos erros juvenis ao criar nosso senso crítico.

Neste caso da blogueira cubana, num primeiro momento, tomando-se as versões que boa parte da imprensa brasileira nos ofereceu teremos a impressão de que estamos diante de um caso clássico de repressão e censura. Mas ao procurarmos saber quem financia o blog, com quais interesses e sob quais filosofias (informações que não são do interesse editorial dessa parte da imprensa), teremos uma visão mais clara do que se trata essa celeuma toda em torno de sua visita ao Brasil.

Quem defende a "liberdade de expressão" à blogueira deveria fazer uso dessa prerrogativa ao buscar se informar para além da imprensa que domina o mercado informativo no país para que assim tivesse diversidade de informações e por fim fosse menos hipócrita.

Senso crítico não se compra no Google Play ou iTunes, é algo que você precisa exercitar para além do senso comum e da mídia viciada que costuma estar sempre mais acessível e num lugar mais confortável, mas é tão nociva quanto comer "junk food" em todas as refeições.

Antes de criticar um lado ou outro, com a contumaz  hipocrisia brasileira, procure conhecer mais versões e variedades opinativas a respeito do assunto, você irá se surpreender e deve até mesmo se revoltar com a quantidade de informações que "não nos contam" por interesses comerciais, políticos ou institucionais. Experimente!

Nenhum comentário:

Postar um comentário